Telefone: (11) 99262-7576 | Nextel ID: 82*29464
 

Blog


Ringo

Eu prometo não prometer mais postar sempre no blog.

A verdade é que tenho uma vontade imensa de postar sempre… quando estou nos eventos, vivendo tantas coisas, chego a pensar nos textos, em qual foto postar, mas depois nunca dá tempo :(

Tenho vontade de postar assuntos pessoais também, a ideia desse blog é contar da minha vida, e a vida não é só trabalho né?

Então hoje resolvi contar a história do RINGO, que é pessoal, mas mistura com trabalho, enfim… uma história que fala muito sobre mim.

E como a história é longa (pq eu falo e escrevo demais e sinto tudo muito intensamente), e tem bastante gente querendo saber com mais detalhes, resolvi escrever aqui, vai ficar muito longo pro facebook 😉

Então quem quiser, venha e fique a vontade!

HISTÓRIA 1: sobre amor, amizade e saúde

Meu pai passou por uma grande cirurgia no começo do ano, foi um sucesso, mas passei por momentos de profundo medo, pois sou absolutamente apaixonada pelo meu pai. Nesse processo, até tatuei o nome dele e da minha mãe. Uma amiga em especial acompanhou todo o processo, sempre presente e dando força. O que nos uniu nesse momento, foi o fato do pai dela ter passado pela mesma situação e também por estarmos juntas trabalhando num evento no dia que descobrimos o problema. O nome dela é Bel Levy, grande produtora de eventos, nos conhecemos na Super Casas Bahia em 2007 (nem sei se ela lembra… rs)

HISTÓRIA 2: sobre amor e música

Minha amada mãe é a pianista e idealizadora do Grupo AUM que existe há 16 anos. Eu sou a produtora do grupo e também completamente apaixonada por ela e pelo grupo. No meio disso tudo, tem o grande compositor, amigo e anjo da guarda Edmundo Villani-Côrtes, com quem tenho a honra de conviver e aprender há quase 13 anos. Através dele conheci muitas pessoas especiais. Uma delas: Maestro Rodrigo Massayuki da Orquestra Villani, um daqueles seres humanos raros que ficamos agradecidos por conhecer.

HISTÓRIA 3: sobre animais

Eu sou completamente maluca e felícia com animais, minha vontade é trazer todos os necessitados para debaixo do meu cobertor, beijar e apertar até saltar os olhos e falar: vou te amar e mimar pra sempre! (Matei minha primeira barata da vida há alguns meses, chorei de soluçar e pedi perdão pra ela, e estou falando sério). Como isso obviamente é impossível, vivo feliz com meus 4 gatos, todos adotados, minhas paixões e alegria diária. Em março desse ano descobri 2 com problemas de saúde (diabético e renal), graças ao esforço de várias pessoas, eles estão a caminho de um final feliz. Mas “gastei” com eles, todo o tempo e dinheiro que eu nem tinha. Mas como vale a pena! Outro dia escrevo sobre o que eu chamo de RadamésTeam!

HISTÓRIA 4: sobre minha rotina (ou a falta de) completamente doida

Semana passada eu tinha 3 possibilidades de evento para o mesmo dia (sexta, dia 5). Cheguei a fechar um (com a agência da Bel da história 1). 2 dias antes foi desmarcado e fechei outro em Campos do Jordão. Na quinta a noite, algumas horas antes de eu pegar a estrada, foi desmarcado também. (Essa é minha vida, esse é meu clube!)

HISTÓRIA 4: sobre o dia 5 de julho e como todas essas histórias se cruzaram

O dia começou com a notícia de um gatinho caído dentro da casa da minha tia. Depois ainda fiquei sabendo pela minha irmã de um gatinho quase atropelado e um cachorrinho que morreu asfixiado num pacote de pão (!!!). Coisas que me abalam. O lado bom dos trabalhos serem cancelados, é que eu poderia ir na festa julina de uma grande amiga. Fui pro mercado comprar os ingredientes para fazer um doce pra festa da noite (acho lindo quem sabe cozinhar pros amigos, esse cara definitivamente não sou eu… rsrs). E na volta, com o porta malas cheio de compras e coisas congeladas inclusive, foi que ele apareceu.

Era 15h00, Av. Giovanni Gronchi esquina com R. Charles Chaplin, lá estava um cachorrinho correndo e latindo no meio dos carros, assustado, quase sendo atropelado por diversos carros. Cena triste e comum que me deixa desesperada. Normalmente são cachorrinhos que fugiram, escaparam ou foram abandonados, pq cachorros que moram na rua sabem atravessar a rua!

Eu senti que precisava fazer algo, que não podia virar as costas para aquele serzinho precisando de ajuda e decidi que queria fazer a diferença na vida dele. Foi amor a primeira vista.

Dei uma de louca, entrei em garagem de prédio, passei na contramão, até que consegui estacionar e ele foi pra calçada, na esquina da loja Alô Bebê, deitou no gramado e ficou lá ofegante e de coração disparado.

Uma mulher se aproximou com o mesmo sentimento, e decidimos depois de alguma conversa e telefonemas, que a gente ia dividir as despesas dele até achar um lar. Eu só fiquei com o primeiro nome dela e um número de celular. Algumas pessoas duvidaram de que ela realmente ajudaria, e ela está presente, descobri pelo Google que é uma Doutora Pneumologista e um anjo que apareceu ali naquele momento para ajudar e encorajar.

Arrumamos um hotelzinho perto de casa, só que ele precisava passar no veterinário para tomar vacina antes de dar entrada lá.

Coloquei ele no meu carro e fui direto pra Cobasi, onde outros dois anjos trabalham, Dra. Betania e Dra. Renata. Eu queria deixar ele numa gaiolinha enquanto eu guardava as compras em casa. O consultório estava lotado e não pude deixa-lo lá. Fui guardar as compras em casa com ele! Foi um passeio emocionante, com direito a peripécias dentro do carro, alarme disparado, gatos nervosos e por aí vai… e eu me apaixonando por aquele cãozinho carente e imaginando o que ele tinha passado até chegar o momento do nosso encontro.

A consulta foi bem, descobri que ele tem aproximadamente 1 ano, pesa 9,100 kg, estava bem de saúde, apenas com uma inflamação na orelha. Na hora de fazer a carteirinha de vacinação, resolvi escolher um nome. Pensei em VILLANI ou ED, em homenagem ao compositor da história 2, mas fiquei em dúvida se ele ia gostar. Daí resolvi escolher um dos Beatles e achei que RINGO combinava mais com nome de cachorro :)

Levei ele pro hotelzinho e fui embora aos prantos.

No sábado, voltei na Cobasi fazer o “enxoval” do Ringo e em seguida visita-lo… quando cheguei ele fez uma festa pra mim, como se eu fosse a dona dele há anos… fui aos prantos novamente, nunca vou esquecer o amor que senti naquele olhar.

Domingo fui novamente, dessa vez com meu marido, e passeamos com ele pelos arredores do hotelzinho. Ele dava alguns passos e abraçava a minha perna e pedia carinho… Domingo a noite sentei na frente do computador para criar um anúncio dele e postar nos sites de adoção. Mas me sentia muito triste, pois sei o quanto é difícil, a quantidade de animais pra adoção é gigante, fora o medo de não conseguir, ou de arrumar uma família que o maltratasse ou abandonasse de novo. Desejei muito que ele fosse adotado por algum amigo, para eu poder ter notícias dele sempre e a certeza de que ele está bem.

Nesse exato momento, minha amiga Bel da história 1, postou no face que estava em busca de um amiguinho pro Pit, o cachorrinho dela. Em questão de minutos combinamos de nos encontrar no dia seguinte cedo no hotelzinho. Parecia um sonho de tão bom!!!!! Detalhes de arrepiar: domingo, dia 7, foi aniversário do MEU PAI e do RINGO STARR 😀

Segunda antes do horário lá estava eu, abraçando e conversando com o Ringo, contando as boas novas! Quero também agradecer ao pessoal do Hotel Chácara do Morumbi: Djair, Henrique, Cida… eles foram incríveis!!!

A Bel chegou com o Pit e com a D. Ilda, a queridíssima mãe dela. Foi bastante emocionante ver o Ringo indo embora com elas. Sou eternamente grata pela chance que deram a ele.

Eu achei que naquela noite eu dormiria bem, pois as noites do fim-de-semana foram péssimas, pensando em como ele estava se sentindo, se estava passando frio.

(Eu sei que existem milhões passando necessidade… mas o Ringo tinha virado  um “problema” MEU.)

Mas já na segunda a noite fiquei sabendo que o Pit estava puto e enciumado com a presença dele! Bel e eu fomos conversando o tempo todo, trocando fotos e vídeos, e era uma judiação e uma injustiça ver o Pit naquele estado :(

Na terça a tarde decidimos que seria melhor procurar outro lar. A noite a Bel postou sobre ele, eu compartilhei, e em poucos minutos o Rodrigo da história 2 me escreveu se interessando por ele…

Agora são 2h47 da madrugada e às 10 da manhã Rodrigo e eu vamos busca-lo! E eu estou aqui ansiosa e louca pra vê-lo! Desde que o conheço, há 5 dias, hoje foi o primeiro dia que não o vi, senti saudades.

Não sei quando vou postar isso, se vou ter coragem… no fundo sei que vou parecer uma boba, mas é tudo tão verdadeiro e intenso.

QUARTA-FEIRA, 10 DE JULHO, 12H13

Cheguei na casa da Bel e encontrei uma D. Ilda chorosa com a situação, Pit enciumado e Ringo carente me fazendo aquela festa deliciosa! O Rodrigo já estava em frente a casa me esperando, junto com a Camila. Foi tudo lindo e emocionante. Acho que colocaram o Ringo dentro de um carro e o abandonaram, pois ele teve medo de entrar no meu carro, no da Bel e no do Rodrigo. Será que isso aconteceu na hora exata que o encontrei no meio dos carros? Nunca saberemos.

A única certeza é que a capacidade dele de amar é enorme e tenho certeza que Rodrigo e Ringo serão muito felizes!!!!!

E eu… sou a madrinha :) hahaha

Muito obrigada a todos os amigos pelo carinho, torcida e ajuda.

Beijos <3

Fotos de celular da Bel, Rodrigo e minhas:

 

 
 

2 Comments

  1. LINDO, LU !!!
    Sabia q ía chorar lendo isso …….
    O RINGO agora encontrou a família certa! E pode ter certeza que a hora q vc o viu entre os carros, não tinha mt tempo q havia sido abandonado. COMO PODE O SER HUMANO CHEGAR A ESSE NÍVEL MAIS BAIXO????????????
    Ainda bem que existem anjos como vc e todos os outros da sua história de final feliz! <3

    • admin

      Obrigada Mi!!! Estou muito feliz!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>